• Ramo da Terra

Sistemas de Integração

Os sistemas de integração crescem cada vez mais, consistindo na produção de grãos, fibras, madeira, energia, carne ou leite na mesma área. De forma geral, esse método propõe alinhar o aumento da produtividade à conservação dos recursos naturais.

Existem várias possibilidades de integração, variando de acordo com a realidade de cada produtor, podendo ser influenciada pelas condições da estrutura da propriedade, o mercado regional, clima, topografia, entre outros fatores.

O Médico Veterinário (CRMV-SP nº 2190) formado há 20 anos, mestre em Higiene e Inspeção de Produtos de Origem Animal e produtor rural, César Augusto de Freitas Nascimento, define Integração como: “Atividade sem volta, ou seja, o pecuarista que amplia sua visão, observa os inúmeros benefícios, entre eles: pastagem de melhor valor nutricional, giro mais rápido, maior marmoreio na carne, aliado a uma criação mais sustentável, não sairá mais do sistema, aumentando sua qualidade e produção”.

César salienta a visão da pastagem como “cultura” e a importância de um bom manejo. Além disso, destaca a frase: “cultivamos pasto e colhemos boi”, a qual aplica em sua propriedade localizada no Munícipio de Arealva-SP, destacando-se pela produção de animais com rendimento de carcaça acima de 52%, entre 20 a 30 meses que possuem de 2 a 6 dentes.

No sistema de integração há opções de combinação entre componentes agrícola, pecuário e florestal, resultando em sistemas como:

· Lavoura-pecuária-floresta (ILPF): É o sistema mais completo, envolvendo lavoura, pecuária e floresta. Por exemplo: Soja (utilizada na fase inicial de implantação do componente florestal ou em ciclos), pecuária e eucalipto.

· Lavoura-pecuária (ILP): Envolve lavoura e pecuária, em rotação, consórcio ou sucessão, na mesma área.

· Silvipastoril (SSP): Integra pecuária e floresta em consórcio.

· Agroflorestais (SAF): Envolve lavoura e floresta, pela consorciação de espécies arbóreas com cultivos agrícolas (anuais ou perenes).


Foto: Gabriel Rezende Faria.


Há algumas dificuldades para implantação dos sistemas de integração como o gerenciamento, por ser mais complexo, necessidade de máquinas, implementos, aquisição de corretivos e fertilizantes, além de investimentos em animais e cercas.

Entretanto os benefícios do sistema ILPF são econômicos, sociais e ecológicos, destacando-se:

· Diversificação da produção;

· Aumento da produtividade;

· Melhoria da fertilidade do solo;

· Qualidade física e biológica do solo;

· Redução de pragas e doenças;

· Conforto térmico para os animais;

· Controle de erosão;

· Diluição dos custos na recuperação de áreas degradadas;

· Aplicação do sistema em qualquer tamanho de propriedade.


Se interessou pelo conteúdo? Gostaria de um orçamento?

Entre em contato conosco! Podemos entregar a melhor solução para sua propriedade Rural.

Ramo da Terra – Soluções Agrícolas e Ambientais

Av. Brasil Norte, 364, Sala 15, Ilha Solteira

Orçamentos:

Cel: (18) 99717-6656 (João Pedro)

Cel: (16) 99209-9798 (Carlos)

Email: ramodaterra.comercial@gmail.com

Facebook: facebook.com/ramodaterra

Site: https://bit.ly/ramodaterraej

Referências:

EMBRAPA. Sistema Integração Lavoura Pecuária. Disponível em: <https://www.embrapa.br/busca-de-solucoes-tecnologicas/-/produto-servico/1055/sistema-integracao-lavoura-pecuaria>. Acesso em: 23/03/2020.

BALBINO, Luiz C.; BARCELLOS, A. de O.; STONE, Luís Fernando. Marco referencial: integração lavoura-pecuária-floresta. Embrapa Cerrados-Livro científico (ALICE), 2011. Acesso em : 23/03/2020.

© 2020 by Ramo da Terra - Empresa Júnior de Engenharia Agronômica.