Sistemas de Integração

Atualizado: 11 de mai. de 2021

Os sistemas de integração crescem cada vez mais, consistindo na produção de grãos, fibras, madeira, energia, carne ou leite na mesma área. De forma geral, esse método propõe alinhar o aumento da produtividade à conservação dos recursos naturais.

Existem várias possibilidades de integração, variando de acordo com a realidade de cada produtor, podendo ser influenciada pelas condições da estrutura da propriedade, o mercado regional, clima, topografia, entre outros fatores.


O Médico Veterinário (CRMV-SP nº 2190) formado há 20 anos, mestre em Higiene e Inspeção de Produtos de Origem Animal e produtor rural, César Augusto de Freitas Nascimento, define Integração como: “Atividade sem volta, ou seja, o pecuarista que amplia sua visão, observa os inúmeros benefícios, entre eles: pastagem de melhor valor nutricional, giro mais rápido, maior marmoreio na carne, aliado a uma criação mais sustentável, não sairá mais do sistema, aumentando sua qualidade e produção”.

César salienta a visão da pastagem como “cultura” e a importância de um bom manejo. Além disso, destaca a frase: “cultivamos pasto e colhemos boi”, a qual aplica em sua propriedade localizada no Munícipio de Arealva-SP, destacando-se pela produção de animais com rendimento de carcaça acima de 52%, entre 20 a 30 meses que possuem de 2 a 6 dentes.


No sistema de integração há opções de combinação entre componentes agrícola, pecuário e florestal, resultando em sistemas como:

· Lavoura-pecuária-floresta (ILPF): É o sistema mais completo, envolvendo lavoura, pecuária e floresta. Por exemplo: Soja (utilizada na fase inicial de implantação do componente florestal ou em ciclos), pecuária e eucalipto.

· Lavoura-pecuária (ILP): Envolve lavoura e pecuária, em rotação, consórcio ou sucessão, na mesma área.

· Silvipastoril (SSP): Integra pecuária e floresta em consórcio.

· Agroflorestais (SAF): Envolve lavoura e floresta, pela consorciação de espécies arbóreas com cultivos agrícolas (anuais ou perenes).


Foto: Gabriel Rezende Faria.


Há algumas dificuldades para implantação dos sistemas de integração como o gerenciamento, por ser mais complexo, necessidade de máquinas, implementos, aquisição de corretivos e fertilizantes, além de investimentos em animais e cercas.

Entretanto os benefícios do sistema ILPF são econômicos, sociais e ecológicos, destacando-se:

· Diversificação da produção;

· Aumento da produtividade;

· Melhoria da fertilidade do solo;

· Qualidade física e biológica do solo;

· Redução de pragas e doenças;

· Conforto térmico para os animais;

· Controle de erosão;

· Diluição dos custos na recuperação de áreas degradadas;

· Aplicação do sistema em qualquer tamanho de propriedade.

 

Se interessou pelo conteúdo? Gostaria de um orçamento?

Entre em contato conosco! Podemos entregar a melhor solução para sua propriedade Rural.

Ramo da Terra – Soluções Agrícolas e Ambientais

Av. Brasil Norte, 364, Sala 15, Ilha Solteira

Orçamentos:

Cel: (16) 99209-9798 (Carlos)

Email: mkt.ramodaterra@gmail.com

Facebook: facebook.com/ramodaterra

Site: https://bit.ly/ramodaterraej

 

Referências:

EMBRAPA. Sistema Integração Lavoura Pecuária. Disponível em: <https://www.embrapa.br/busca-de-solucoes-tecnologicas/-/produto-servico/1055/sistema-integracao-lavoura-pecuaria>. Acesso em: 23/03/2020.

BALBINO, Luiz C.; BARCELLOS, A. de O.; STONE, Luís Fernando. Marco referencial: integração lavoura-pecuária-floresta. Embrapa Cerrados-Livro científico (ALICE), 2011. Acesso em : 23/03/2020.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo