Seu dinheiro é capim: Bom manejo do pasto traz retorno econômico aos pecuaristas

A pecuária brasileira é dividida em dois períodos, sendo o período de estiagem e o período das águas. O período de estiagem tem sido cada vez mais severo , diante disso garantir o equilíbrio com comida barata e de qualidade para o gado no ano todo é uma alternativa que o produtor brasileiro tem graças às condições territoriais e climáticas ideais para o crescimento de plantas forrageiras e gramíneas. No entanto, para lidar com a escassez e também para que o gado atinja o peso ideal para o abate é preciso fazer o manejo de pastagens para que o gado consiga extrair os nutrientes necessários.


Em uma entrevista a doutora em zootecnia Janaína Martuscello, professora da Universidade Federal de São João Del-Rei, em Minas Gerais, ressaltou que pastos bem manejados sequestram carbono, entregam bons resultados de produtividade e maior sustentabilidade social, ambiental e econômica.


Podemos definir manejo como um conjunto de técnicas e ações que garantem o acesso dos bovinos ao alimento de qualidade desde o seu nascimento até o abate. Das opções disponíveis para melhorar a produtividade das pastagens, introdução de espécies forrageiras adequada às condições do meio como pluviosidade, temperatura da região e fertilidade do solo são um ponto de partida para o sucesso da exploração da pastagem.

Entretanto, práticas de manejo como: adubação, irrigação, suplementação, sistema de pastejo e, sobretudo, a adoção de taxa de lotação compatível com a capacidade de suporte da pastagem, desempenham papel relevante.


  • Adubação

Esta prática é responsável pela nutrição e manutenção da pastagem utilizando corretivos e fertilizantes.

Para realizar uma adubação de forma assertiva, o ideal é que um especialista faça a análise do solo e identifique as necessidades deste e faça uma recomendação dos nutrientes necessários para a melhoria da pastagem.


  • Irrigação

Esse recurso permite que haja menor flutuação na produção devido às estiagens e pode ser combinada com a adubação através da técnica de fertirrigação (adição de fertilizantes na água)


  • Sistemas de pastejo

Os diferentes métodos de manejo de pastagem podem ser agrupados, basicamente, em três sistemas: contínuo , rotacionado e diferido.


Pastejo contínuo: Neste sistema a pastagem é utilizada ininterruptamente o ano todo porém isso não quer dizer que o pastejo é contínuo com as mesmas plantas, há uma rotatividade natural dentro dos piquetes

Pastejo rotacionado: Neste sistema há uma subdivisão da pastagem em um número variável de piquetes menores, que são utilizados um após o outro. Dessa forma, quando chegar no último, o primeiro já tenha se regenerado.

Pastejo diferido: Este é quando, por alguma razão, a pastagem é deixada em descanso, sem animais, por algum período de tempo.


  • Taxas de lotação

Das variáveis de manejo, a taxa de lotação (número de animais/unidade de área) é a mais importante, pois ela determina a taxa de rebrota, as composições botânica e morfológica da pastagem, e consequentemente, a qualidade da forragem disponível.


A produção final em sistemas de pastejo é o efeito da combinação das eficiências, que se atinge em cada etapa do processo produtivo final. O manejo do pasto é, afinal, o que controla toda a eficiência geral do sistema de produção.

Assim podemos ressaltar que quanto melhor a qualidade da forragem fornecida, mais rentável será para o produtor. Lembrando que o conceito de qualidade não significa apenas valor nutritivo (VN), ou concentração de nutrientes – os carboidratos e as proteínas – na forragem. Essa definição de qualidade engloba também o próprio consumo da forragem, e para que haja consumo grandioso, além de bom VN, é necessário que haja boa oferta de forragem

 

Se interessou pelo conteúdo?

Entre em contato conosco! Podemos entregar a melhor solução para sua propriedade Rural.

Ramo da Terra – Soluções Agrícolas e Ambientais

Av. Brasil Norte, 364, Sala 15, Ilha Solteira

Cel: (35) 98807-5190 (Guilherme)

Email: marketing@ramodaterraej.com

Facebook: facebook.com/ramodaterra

Site: https://bit.ly/ramodaterraej

 

Referências bibliográficas:


Como fazer o manejo de pastagens para gado de corte? Blog para Profissionais do Agronegócio e Veterinária. Disponível em: <https://www.cptcursospresenciais.com.br/blog/manejo-de-pastagens-gado-de-corte/>. Acesso em: 13 Jan. 2022.


GOMIDE, José; AUGUSTO, Carlos ; GOMIDE, M. UTILIZAÇÃO E MANEJO DE PASTAGENS. [s.l.: s.n., s.d.]. Disponível em: <https://www.fcav.unesp.br/Home/departamentos/zootecnia/ANACLAUDIARUGGIERI/manejopastagens_gomide_.pdf>.


GRANDE, Campo. Ministério da Agricultura. do Abastecimento e da Reforma Agrána ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE MANEJO DE PASTAGENS. [s.l.: s.n., s.d.]. Disponível em: <https://core.ac.uk/download/pdf/33888889.pdf>.


Manejar bem o pasto oferece ao pecuarista maior retorno econômico em menos tempo. Giro do Boi. Disponível em: <https://www.girodoboi.com.br/destaques/manejar-bem-o-pasto-oferece-ao-pecuarista-maior-retorno-economico-em-menos-tempo/>. Acesso em: 13 Jan. 2022.


O que é forragem e sua importância - Blog IRRIGAT. IRRIGAT. Disponível em: <https://irrigat.com.br/o-que-e-forragem-e-qual-sua-importancia/>. Acesso em: 13 Jan. 2022.
















0 comentário

Posts recentes

Ver tudo