Pesquisadores desenvolvem combustível renovável feito com resíduos de eucalipto

Os combustíveis renováveis feitos à base de resíduos de eucalipto estão sendo produzidos por pesquisadores do estado do Mato Grosso do Sul devido a alta colheita da árvore. A ideia é oferecer um alto desempenho além de contribuir com a sustentabilidade, evitando a emissão de gases de efeito estufa.


Os pesquisadores industriais que estão compondo esta pesquisa são do Instituto Senai de Inovação em Biomassa (ISI Biomassa), situado em Três Lagoas, devido o grande volume de áreas plantadas para suprir a enorme demanda da indústria de papel e celulose.


O estado do Mato Grosso do Sul, atualmente é responsável por produzir 5 milhões de toneladas de celulose anuais, o equivalente a 25% da produção de todo o Brasil, o mesmo estado conta com mais de 1,135 milhões de hectare só de eucalipto, dados esses de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ComexStat e IBA.


Devido ao grande potencial do eucalipto como combustível renovável, os pesquisadores do estado do MS fecharam uma parceria com a Eldorado Brasil Celulose com o intuito de produzir um combustível chamado diesel verde e outro conhecido como biocarvão. Ambos poderão ser utilizados em processos do ciclo de produção da celulose de eucalipto, desde o abastecimento das máquinas até a geração de energia térmica. Foi dado ao projeto o nome de “Forest4fuel” e foi aprovado em um edital da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento de Ensino, Ciência e Tecnologia do Mato Grosso do Sul (Fundect).

Segundo Thiago Hendrigo de Almeida, que é um dos pesquisadores e idealizadores do projeto, explica que as raízes e os tocos do eucalipto são ricos em lignina, o que oferece resistência mecânica à planta. Sabe-se que, a partir da pirólise desses materiais, são produzidos biocarvão e bio-óleo pesado, sendo assim a pesquisa propõe uma prova de conceito, ou seja, tornar real aquilo que já é conhecido em teoria.


Thiago ainda comenta sobre os vários benefícios gerados pelo combustível de eucalipto. Quando o talhão fica livre de resíduos, o próximo ciclo do plantio é ainda mais rápido. Além disso, a pesquisa também promove a redução na emissão de gases de efeito estufa.


O projeto contará com recursos de R$610 mil da Fundect e será desenvolvido ao longo de dois anos.

 

Se interessou pelo conteúdo?

Entre em contato conosco! Podemos entregar a melhor solução para sua propriedade Rural.

Ramo da Terra – Soluções Agrícolas e Ambientais

Av. Brasil Norte, 364, Sala 15, Ilha Solteira

Cel: (35) 98807-5190 (Guilherme)

Email: marketing@ramodaterraej.com

Facebook: facebook.com/ramodaterra

Site: https://bit.ly/ramodaterraej

 

Referências bibliográficas:


MS, Agora. ISI Biomassa desenvolve combustíveis de alto desempenho a partir de resíduos de eucalipto. 2022. Disponível em: https://www.agorams.com.br/isi-biomassa-desenvolve-combustiveis-de-alto-desempenho-a-partir-de-residuos-de-eucalipto/. Acesso em: 17 fev. 2022.


EMBRAPA. Eucalipto - Perguntas e Respostas. 2022. Disponível em: https://www.embrapa.br/en/florestas/transferencia-de-tecnologia/eucalipto/perguntas-e-respostas. Acesso em: 17 fev. 2022.


VITAL, Andréia. Pesquisadores desenvolvem combustíveis à base de resíduos de eucalipto. 2022. Disponível em: https://jornalcana.com.br/pesquisadores-desenvolvem-combustiveis-a-base-de-residuos-de-eucalipto/. Acesso em: 17 fev. 2022.















0 comentário

Posts recentes

Ver tudo