Risco na produção de tomates e ketchup roxo


O tomate (Solanum lycopersicum) é uma cultura de extrema importância no Brasil, sendo produzido em todas as regiões, com destaque para os estados de Goiás, São Paulo e Minas Gerais, que concentram mais da metade da área e produção nacional e onde se encontram as principais indústrias processadoras de tomate.


Não só importante para o Brasil, mas também importante para os Estados Unidos, onde há um risco sério de possível falta de tomate nas gôndolas dos supermercados. Tudo isso causado por um vírus que tem atacado drasticamente as lavouras do país norte-americano.


O chamado vírus do topo encaracolado está causando muita dor de cabeça aos produtores rurais do estado de Utah. A associação Federação Uath Farm Bureau que conta com mais de mil membros entre agricultores e suas famílias, teme que os tomates fiquem escassos no mercado já que boa parte da produção da fruta foi afetada pelo vírus.


Tal vírus é transmitido pela Cigarrinha da Beterraba (Agallia albidula), que infecta também beterraba, espinafre, cucurbitáceas e feijoeiro, causando estragos enormes para a produção e comercialização.


Plantas infectadas com esse vírus apresentam folhas novas com nervuras descoloridas e limbo enrolado para cima. Posteriormente, elas tornam-se espessas e quebradiças. Para contornar a situação, manter o mercado aquecido e a fidelidade dos clientes, alguns produtores recorreram as compras de agricultores de outros estados.


Em contraste com todo esse problema na produção do tomate, também nos EUA, há uma nova cultivar da fruta que está sendo produzida e deve chegar nos supermercados no próximo ano.


Mas qual a diferença e inovação para as cultivares já existentes? A característica mais marcante dessa cultivar é a sua coloração roxa!


Mas não precisa ficar preocupado: cientistas comprovam que esta variedade, no que diz respeito a sabor e aroma, é exatamente igual aos tomates que estamos habituados a comer. A USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) afirma que o tomate geneticamente modificado pode ter uma vida útil maior quando comparado com variedades tradicionais. A planta pode ser cultivada com segurança e usada na reprodução sem maiores problemas.


Segunda a bioquímica britânica e professora de Universidade de East Anglia, Cathie Martin, “os novos tomates são ricos em antocianinas e possuem maior capacidade antioxidante”.


Será que teremos ketchup na cor roxo?

 

Se interessou pelo conteúdo?

Entre em contato conosco! Podemos entregar a melhor solução para sua propriedade Rural.

Ramo da Terra – Soluções Agrícolas e Ambientais

Av. Brasil Norte, 364, Sala 15, Ilha Solteira

Cel: (15) 99169-7094 (Leonardo)

Email: marketing@ramodaterraej.com

Facebook: facebook.com/ramodaterra

Site: https://bit.ly/ramodaterraej

 

Referências bibliográficas:


AGROLINK. Tomate roxo deve chegar em breve às prateleiras. 2022. Disponível em: https://www.agrolink.com.br/noticias/tomate-roxo-deve-chegar-em-breve-as-prateleiras_470571.html. Acesso em: 22 set. 2022.


AGROLINK. Vírus afeta colheita de tomate. 2022. Disponível em: https://www.agrolink.com.br/noticias/virus-afeta-colheita-de-tomate_470384.html. Acesso em: 22 set. 2022.


BULHÕES, Gabriela; LUCENA, André. Tomate roxo? Empresa cria fruta geneticamente modificada com super nutrientes. 2022. Disponível em: https://olhardigital.com.br/2022/02/28/medicina-e-saude/tomate-roxo-empresa-cria-fruta-geneticamente-modificada-com-super-nutrientes/. Acesso em: 22 set. 2022.


SILVA, Jakelinny Martins. Revisão de literatura sobre as doenças do tomateiro (Lycopersicon esculentum Mill.). 2010. Disponível em: https://fitopatologia1.blogspot.com/2010/10/revisao-de-literatura-sobre-as-doencas.html. Acesso em: 22 set. 2022.

0 comentário